quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Estudantes visitam o templo SUD de Sao Paulo em 2014

Banner Sala de Imprensa

São Paulo - Estudantes de Teologia visitam A Igreja de Jesus Cristo para conhecer sua crenças em 2014

Na manhã do dia 19 de outubro de 2014, doze estudantes do curso de teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie visitaram o escritório de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, participaram de uma reunião sacramental e fizeram um “tour” pela capela e jardins do Templo de São Paulo. Como trabalho de final de curso, eles teriam que estudar e apresentar um relatório sobre uma religião. Toda a classe escolheu fazer o projeto sobre A Igreja de Jesus Cristo, por terem pouco conhecimento sobre ela.

Eles foram recebidos no escritório da Igreja e assistiram uma apresentação sobre crenças básicas e os programas Mãos que Ajudam e Ajuda Humanitária, feita pelo Departamento de Assuntos Públicos da Igreja. Os alunos fizeram várias perguntas para conhecer melhor os santos dos últimos dias. Eles receberam vários materiais da Igreja, como Livro de Mórmon, A Família: Proclamação ao Mundo, O Cristo Vivo, revistas “A Liahona”, entre outros. Após a palestra, os estudantes participaram da reunião sacramental da Ala Morumbi, da Estaca São Paulo.

Jonathan Castellano, membro da Ala Morumbi, fez um "tour" na capela com o grupo e explicou sobre diversos pontos de doutrina e organizações da igreja. No jardim da capela, ao lado do Templo de São Paulo, Jonathan fez um resumo da história do Templo, o 1º construído na América do Sul, e explicou a importância deste edifício sagrado. Os alunos elogiaram a organização da Igreja e afirmaram ter aprendido muito sobre os mórmons. “Gostaria de agradecer do fundo do meu coração a recepção dos irmãos SUD. Foi um momento de alegria e de bastante conhecimento. Nós ficamos maravilhadoscom o trabalho que vocês realizam pelo mundo. Agradeço também ao Fábio e ao Jonathan por todas as explicações, paciência e solicitude. Com certeza visitaremos mais vezes. Muito obrigada!”, disse Danielle Blanez.

Já Bruno Campos Silva, falou: “Estou extremamente impressionado com vocês! Sempre vivi em Taboão da Serra e por sorte tive a oportunidade de conhecê-los melhor!”. Ao final do encontro, o grupo agradeceu pela recepção e afirmou com alegria: “Hoje vocês ganharam 12 novos amigos”.


Texto e fotos: Fábio Nascimento – Departamento de Assuntos Públicos

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Aguai a semente radiestesica

Aguaí, a semente radiestésica








O referido artigo teve sua publicação aqui autorizada pelo seu autor Miguel Galli em 22 de setembro de 2014.


 


Veja que interessante este artigo sobre plantas tóxicas.
O Chapéu de Napoleão ou Aguai é uma planta tóxica. Seu efeito é semelhante ao da Digoxina, que é extraída da planta Digitalis e é um remédio para a arritmia do coração.


"FÍSICA QUANTICA - MODULAÇÃO ENERGÉTICA ATRAVÉS DA SEMENTE DO AGUAÍ"



Dr.Francisco Smith com milhares de operações realizadas em 30 anos de prática da medicina formal, então com 81 anos, surpreendeu seus colegas de profissão, quando aposentou o bisturi para se tornar terapeuta natural.
Agora, o médico surpreende novamente ao anunciar a descoberta de uma semente que segundo ele, poderá despontar como uma  das grandes panaceias deste novo século.
Chamada pelos índios de AGUAI e pelas velhas comadres de chapéu-de-napoleão, coração de Jesus ou semente elétrica, esta semente emite uma vibração continua que teria a virtude de proteger o corpo de seu portador, servindo contra doenças e devolvendo ao homem o equilíbrio psíquico e o bem-estar físico.“Não é magia nem simpatia”, esclarece o Dr Smith.
As sementes de Aguai, fruto de uma planta ornamental que pode medir de 3 a 10 metros de altura, têm um valor excepcional por sua composição química e pela energia que emana.
“O aguai emite vibrações que podem ser captadas pelos processos radiestésicosQuando se utiliza um pendulo ou um aurometro, aparelho empregado para medir a energia dos corpos, pode-se notar que as sementes manifestam uma atividade constante. “Transmitida para o homem, elas produzem em nós um equilíbrio completo, resolvendo conflitos, protegendo a saúde no geral” garante.
Pesquisando, estudando e fazendo experiências, a principio com a ajuda do engenheiro Ciro Pereira – um senhor de 82 anos, que atribui sua vitalidade, a um pé de aguai que cultiva no quintal, Dr. Smith chegou à conclusão de que, em contato com o corpo, as sementes poderiam atrair as energias vitais humanas. “Basta colocá-las no alto da cabeça, durante três a quatro minutos, e a energia se potencializa”. 
Mas, para que  as vibrações positivas prossigam, o terapeuta macrobiótico recomenda que a semente seja usada constantemente, junto ao corpo, guardada num saquinho de lã, juta, algodão ou seda natural. Já para ter o equilíbrio psíquico e sanidade física totalmente resgatadas, ele afirma que é imprescindível voltar à natureza e a uma alimentação mais balanceada.
Recentemente, Henrique Smith, escreveu um livro sobre os potencias energéticos das sementes AGUAIZEN- e há três anos acompanha o tratamento de pacientes submetidos à associação da macrobiótica com aguai. 
Os resultados, segundo ele, são extraordinários. De alergias renais, passando por rinites e asma, chegar a mais de uma centena o número de curas com o auxílio das sementes de aguaí.
Indicada para modulação celular, dores no corpo, insônia, enxaqueca crônica (amarra-se uma semente na cabeça), limpar energias negativas estagnadas em casas ou ambientes de trabalho (espalhar várias sementes por vários cômodos e lugares), para estabilizar quadros de insônia e pesadelos, desequilíbrios emocionais, etc..
Basicamente, por emitir frequências corretas e constantes, o aguaí reequilibra ou faz parte de tratamento de reequilíbrio físico e mental !
Estou usando duas sementes debaixo da fronha de meu travesseiro e as noites de sono estão bem mais tranquilas, assim como outros amigos e terapêutas receberam de mim, sementes para testar onde acharem conveniente para análise !
Miguel Galli/Fontes Diversas
Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo.