quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Propriedades terapeuticas de cristais e pedras preciosas

Propriedades terapêuticas de cristais e pedras preciosas

Estimado leitor a Loja Cristais Aquárius fez um video viral interessante no Facebook oferecendo um e-book grátis a todos os interessados sobre Cristais e Pedras Preciosas e Semi-Precisosas.

Para ampliar o alcance da obra e permitir que mais pessoas possam se beneficiar deste livro segue o mesmo abaixo.

Um abraço, estimado leitor.
Fonte: http://www.cristaisaquarius.com.br





segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O que e a Seicho-no-ie

Seicho-no-ie
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Seicho-no-ie

Seicho-no-ie

Emblema



Sede Principal
Orientação
Xintoísmo
Budismo
Cristianismo
Islamismo
Judaísmo
Psicologia
Filosofia
Fundador Masaharu Taniguchi
Origem 1 de março de 1930
Sede Tóquio, (sede principal)


Seicho-No-Ie (生長の家 em japonês) (Lar do Crescimento Infinito, numa tradução livre) é uma filosofia de vida e também uma religião sincretista,monoteísta de origem japonesa. Enfatiza o não sectarismo religioso, as práticas de gratidão à família e a Deus. Ensina que o ser humano é filho de Deus, e o poder da palavra positiva que influencia na formação de um destino feliz e o universalismo.1



Índice
1 História
2 Missão da Tocha Sagrada
3 Principais Ensinamentos da Seicho-No-Ie
4 Doutrina
5 Número de membros no Brasil
6 Notas
7 Referências
8 Ligações externas


História
Surgiu em 1º de março de 1930 como revista de Cultura Moral 生長の家, cresceu no pós-guerra no Japão, sofreu perseguição militar2 e foi transformada em religião. Nesta época, a sociedade japonesa viu desmoronar a religião oficial do Estado, baseada na crença na divindade do imperador e uma das bases da ideologia militarista. Nesse vácuo ideológico e espiritual surgiram ou cresceram inúmeras seitas e religiões, entre elas a Perfect Liberty, a Igreja Messiânica Mundial (Johrei) e a Seicho-No-Ie. Esta última contribuiu para a revitalização da religiosidade, incentivando seus adeptos à prática de suas religiões de origem.

A Seicho-No-Ie foi fundada por Masaharu Taniguchi (1893–1985) e se mundializa a partir da II Guerra Mundial. Seu conjunto doutrinário incorpora elementos do cristianismo, do budismo e doxintoísmo - três grandes religiões presentes no Japão, representadas no seu símbolo oficial respectivamente pela estrela verde no centro, pela cruz gamada branca intermediária (Lua) e pelo círculo vermelho externo com suas 32 flechas (Sol).

Argumenta-se que a Seicho-no-Ie, na contramão de suas consortes, estava em sintonia com a ideologia do nacionalismo oficial japonês. A professora Leila Marach Albuquerque afirma que a Seicho-no-Ie foi elaborada à luz da ideologia familista do Império japonês 3 . Pela grande população de imigrantes japoneses, as novas religiões chegaram quase que simultaneamente ao Brasil. Em pouco tempo conseguiram grande número de adeptos, não só entre os descendentes de japoneses mas entre toda a população em geral.

A Seicho-No-Ie em particular conseguiu grande número de adeptos. Entre os instrumentos de disseminação de sua crença, a revista Acendedor e o Preceitos Diários (calendário com mensagens) se tornaram bastante populares nas grandes cidades brasileiras, principalmente nas décadas de 60 e 70 do século XX.

Atualmente, a Seicho-No-Ie conta com divulgação por meio de publicações como as revistas Fonte de Luznota 1 (público masculino), Pomba Brancanota 1 (feminina), Mundo Idealnota 1 (jovens) e Querubimnota 1 (para crianças), além do jornalCírculo de Harmonianota 2 , programas de TV, rádio e website.

Sua origem cerimonial está ligada, principalmente, ao Xintoísmo, sendo também seus rituais o batismo, casamento e culto aos antepassados, do qual é talvez o melhor representante fora do Japão. Vale ressaltar que na Seicho-No-Ie há muita liberdade de adaptação de cerimonias ligadas à cultura local. Diferentemente de muitas religiões tradicionais, onde a conduta dos adeptos é condicionada pelo medo, Nakajima 4 explica que A Seicho-no-iê rejeita o "tem de ser assim", isto é considera que nada deve ser forçado e ensina a viver naturalmente a vida como ela é. Ensinamentos como "O ser humano é filho de Deus", "O mundo fenomênico é projeção da mente" e "Grande harmonia" são interpretados de várias maneiras, em conformidade com pessoa, tempo e lugar.5

Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo